quinta-feira, 9 de junho de 2016

seus olhos

sua pele
a mesma textura 
que nunca toquei
sua carne
o mesmo gosto cru
que nunca provei
ainda tem a mesma cor
que nunca enxerguei
seu corpo
o mesmo endereço
que eu nunca soube
a mesma voz
que eu nunca ouvi

sua cama
os mesmos lençóis
que você nunca trocou
onde eu nunca deitei
suas meias
as mesmas cores
as mesmas dúvidas
seu sorriso
o mesmo formato
seus olhos o mesmo adeus
que nunca tivemos
seus olhos o mesmo amor
que nunca tiveres
seus olhos o mesmo encanto
que nunca esqueci
seus olhos
o mesmo mar onde morremos

seus olhos
apenas os olhos
e uma dor
a minha
que nunca passou

Nenhum comentário:

Postar um comentário