quarta-feira, 21 de outubro de 2015

esquemas dilemas versos ou problemas

não entenda nos meus beijos um problema
que os músculos dos teus ósculos não solucionarão
nenhum deles

não entenda no meu silêncio algum esquema
porque já estou nessa durante alguns anos
e meus problemas já tão velhos
minhas gavetas já lotadas
e as araras cheias de roupas penduradas
ainda que não me sirvam mais

não entenda na minha poesia algum dilema
que minha escrita é liberdade
é passarinho azul que eu deixo cantar
na rua ou em casa
debaixo de lençóis ou nos jornais

não entenda os meus versos
a minha alma quem resolve é a minha pele
e meu corpo quem resolve é minha alma

então
não me entenda só por esquemas,
dilemas, versos ou problemas
porque sou muito mais do que esqueço
muito menos do que pareço
e muito mais onde pertenço

sou, talvez, sozinha no mundo
e silêncio qualquer
sou, talvez, sozinha em tudo
ainda mais quando mulher.