quinta-feira, 3 de setembro de 2015

saudade com você do lado

tenho saudade, mesmo com você dormindo
saudade de quando eu tinha ritmo
pra recolher os cacos dos vãos

saudade dos dias corridos
de tropeçar meus lábios em seu umbigo
e nunca soltar da tua mão

saudade dos versos vividos
de morrer e viver nos teus olhos
e me machucar ao atingir o chão

saudade do teu olhar perdido
que sempre rimou comigo
e terminava noutro dia
versinhos em grão

saudade de ter te escolhido
costas e colchão no chão
aqueles cigarros perdidos
e o seu cheiro impregnando
às minhas mãos

saudades dos táxis pagos
horários amarrados
tremidos e safados
que nunca mais estacionarão

saudade de ter saudade do tempo
que mesmo que pedisse retorno
por mais lindo e etéreo que fosse
para ele eu diria não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário