quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

oh Ana

oh, meus orixás 
essa garota quer o mar
mas não tem coragem pra se afogar
oh, menina filha de Iemanjá
a maresia logo vem te buscar
pra junto do teu amor você embarcar

oh, Iemanjá
minha menina pequena não sabe navegar
deixe pra ela um barco pequeno
pra Ana não se afogar
nesse mar infinito de axé,
mamãe Iara.




segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

nós não apagamos as velinhas

a gente tentava se resolver em silêncio
devorando os olhos um do outro
dividindo um cigarro
aquele último, porque nenhum de nós
tinha coragem de sair de casa
e a gente tinha que ficar em silêncio
então, nada de avisar que um ia sair
pro outro ficar

não
se eu tinha que ficar, ele tinha que ficar
estava acordado, escrito nas linhas do silêncio,
na partitura daquela melodia só de pausas,
que os nossos sonhos eram livres
e nossos cigarros eram vulgares
passavam de boca em boca
na nossa poesia muda

num acaso, sem caso, a gente se entendia fácil
eu me debruçava na varanda
e ele logo vinha com um abraço
por trás de mim
subindo o calor da respiração na minha nuca
tremulando os meus ossos da perna
aquecendo com o seu corpo
a minha bunda
a minha pele
o meu beijo

a gente se entendia fácil
e não discordava com facilidade
o problema foi essa facilidade enorme
de ficar em silêncio
que um dia emudeceu um ano inteiro

[e nós não apagamos as velinhas]

sábado, 25 de janeiro de 2014

little friend

it was a miserable friday or something like that
something, indeed, made me scream for some weed
and this friend of mine begging on wine

we just walked on those street for some many times
i just couldn't help to look for the one by my side
the one who stands on crying eyes
and beautiful excuses on laughters and hot pies
and we made such a beautiful speech to each others lies

this friend of mine... what a sweet guy!
with just a little laugh of him I could dissolve in the sky
with some of my dreams he listens so carefully... 
this friend of mine
has been such a tragedy at the time
we just walked around each other trying to figure out
what when wrong on those last lines
when we we're very in love 
not for each other, but for some others 
who just keep putting us in the row of never
keeping us under the dreams of forever

i love him, this friend of mine
i just wish he could see what no one else can see
that i can see so clear
listen to me, handsome friend
and stop trying to put some end
i want you to understand love is fine
and it's ok to love who you wanna love
don't be afraid

i'm here for you, little friend.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

ou no começo

te assustar, meu bem
enquanto você não quiser precisar de mim
isso te assusta, eu sei
gostar de mim assim

"gosto musical?
opção sexual?
talvez... bissexual?
você até que é meio, assim, liberal?
usa anticoncepcional?
gosta de sexo anal?
tem vontade de fazer um bacanal?
eu curti muito o teu astral
às vezes me deparo com muita coisa, assim, artificial
eu até tenho medo de ter um discurso igualmente banal
me desculpa se eu pareço um pouco animal
com essa história de tanto querer carnal
mas é que o mundo tá meio boçal
e eu só queria um bom caso casual
uma energia massa e consensual
pode até ser religiosa, dominical
a não ser que você tenha compromisso aos domingos,
alguma parada conventual
ah, não? então, tá legal!
mas (ri)... olho pros teus olhos e eles tem algo de fatal
e se eu me apaixonar por você, no final?
a gente pode ser algo eventual
sem deixar que se afogue no normal
um sabor de gente ideal
pra cada lençol uma indecência inaugural
sem a promessa de colocar num pedestal
essa relação que vai crescer com cada oral
a gente pode abrir esse acordo semioficial?
[além das tuas pernas, é claro]."

led zeppelin e banda eva
seja bonzinho e se despeça
assim que a minha boca
sair do seu pau
e tivermos esse acordo selado
em condicional.

domingo, 12 de janeiro de 2014

an popular romantic poem

i've missed my baby for the game
and I will never make that mistake again
'cause now that I have these impromptu dues
and I need someone to fix me these shoes
but how can I work with these lips so smooth
wanting to rip the clothes out of me
just wanting so madly to celebrate
those infinite stars that we see

call me babydoll and we can work it out
but let me have some time for myself to aply
in this lines of your mouth that I can't deny
you're being such a bad guy,
I can't take you out of my mind.
this is outrageous and painful 
I just I wish I could cancel
this feelings I have for you.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

vou-me embora para o mar

 vou-me embora para o mar
lá serei rainha
lá terei um marinheiro no qual me atracar
na cama de ondas que escolherei

vou-me embora para o mar
vou-me embora para o mar
aqui não sou feliz
lá a existência é uma aventura
de tal modo inconsequente
que a Lucy in the Sky with Diamonds
rainha lírica e transcendente
vem a ser contraparente
da liberdade que nunca tive

e como farei yoga
andarei de bicicleta
farei algumas festas
subirei em mesas de bar
tomarei banhos de mar.
e quando estiver cansada
deito na beira da praia
mando chamar a Sereia
pra me contar as histórias
que no tempo de eu, menina inocente,
ninguém se atrevia a me contar

(vou-me embora para o mar)

no mar tem tudo
é outra civilização
tem um processo inseguro
de impedir a concepção
tem chuva à tarde
tem liberdade à vontade
tem marinheiro bonito
para a gente namorar

e quando eu estiver triste
mas triste de não ter jeito
quando de noite me der vontade
de me matar
lá, num reino sem rei
terei o marinheiro que eu quero
na cama de ondas que escolherei.
vou-me embora para o mar

hey you


quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

desconfianças

e talvez, mais uma vez, por erro ou engano
eu mantenha a cegueira em mil perdões
e em mil outras histórias
eu mantenha o lirismo das tais desconfianças
em amores que morreram mergulhados em vil
promessas chocas

nas garrafadas das noites frias
ébrios de amor e vinho
numa coleção de miados estranhos
beijos lascivos e ferinos golpes de prazer
na medição dos pecados mundanos,
vivi as noites das tuas coxas mornas
e me arrependi dos teus ensejos loucos
num amor errado a perder-se errôneo

e ainda assim, eu o amo!
na sinceridade dos dias espalhafatosos
eu mantenho a minha máscara
em olhos dissimulados
e completo com palavras mentirosas
a desonestidade do meu desamor
por nossos eternos dissabores
e vou-me embora completamente
imersa nas minhas dores